Por Ana Ceregatti
Nutricionista

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Mais uma do cálcio

Essa veio de uma conversa que eu ouvi na noite de Natal. Pela sua importância e pela frequência com que acontece, achei que valia a pena compartilhar.

Fiquei sabendo que o filho de um parente, super novinho - deve ter uns 3 aninhos, está tomando coca-cola na mamadeira. Acho que gostam de me contar isso só para ver minha reação... Bem, o fato é que dar refrigerante na mamadeira para criança pequena é mais comum do que se imagina. Para a tristeza dos ossos. Já explico.

Dessa conversa, surgiram outras. E aí vai a explicação.

Uma delas era sobre uma criança por essa idade, que caiu e quebrou o braço. Ficou um tempo com o gesso e, quando o mesmo foi retirado, o médico viu que o osso ainda não havia consolidado. Mais uns dias de gesso não foram suficientes para colar o dito cujo. Resolveram deixar um pouco mais. Ao final de 3 tentativas de imobilização sem muito sucesso, encaminharam a criança para o pediatra, pois afinal osso de criança cola super fácil!

O pediatra disse que o osso dessa criança estava poroso de tanto ela tomar refrigerante. Se essa é a única causa, não sei. Mas sei que faz sentido.

As bebidas gaseificadas, assim como excesso de proteína animal, de sal, de açúcar e de outras tralhas industrializadas alteram o equilíbrio do pH do sangue, atrapalhando o funcionamento do corpo como um todo. Então, quando isso acontece, o organismo toma várias medidas. Uma delas é retirar cálcio do osso e mandá-lo para o sangue, mantendo o seu pH dentro da faixa ideal.

Então, se você quer ter uma massa óssea saudável, evite os itens acima e garanta que sua alimentação seja à base de cereais integrais, vegetais frescos, frutas, castanhas e feijões.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Mais cálcio que no leite

Cresci ouvindo que tomar leite faz bem aos ossos. Aprendi isso na faculdade também. Aliás, aprendi que a principal fonte de cálcio na nossa alimentação é o leite e seus derivados. Vários textos que circulam por aí repetem isso todo o tempo.

Geralmente, quando uma pessoa descobre que tem osteopenia, ou seja, que o seu osso está "mais fraco", a primeira recomendação é para comer mais fontes de cálcio. Que se traduz, na grande maioria das vezes, em mais leite e derivados. Esse tiro pode sair pela culatra a agravar a fraqueza óssea, pois, se por um lado a oferta de cálcio fica maior, por outro, aumenta-se o consumo de proteína animal, que, de uma forma bem simplista, retira cálcio dos ossos.

Já atendi várias pessoas no consultório nesse tipo de situação.

Então, o que fazer?

Se consumir leite e derivados for uma opção (e não uma imposição), que ela seja limitada a no máximo 3 porções por dia (1 porção equivale a 1 copo de leite, 1 pote de iogurte natural, 1 e 1/2 colher sopa de requeijão, 3 fatias de mussarela ou 3 colheres de sopa de leite em pó desnatado), para evitar o efeito negativo acima descrito.

Incluir outras fontes desse mineral, além dos laticínios, é uma sábia decisão. Comer brócolis, couve, repolho, couve-flor, mostarda, escarola, agrião e rúcula, incluir um pouco de gergelim e de amêndoas, experimentar as delícias com tofu e buscar, sempre que possível, por alimentos fortificados com cálcio são alguns exemplos.

Ah... e tomar sol!

Jura que aqui tem trans?

A gordura trans é hoje em dia um grande vilão na nossa alimentação. E não é para menos, uma vez que ela pode fazer um estrago danado nos nossos vasos sanguíneos.

Por isso, eu fico muito preocupada quando vejo que a maioria das pessoas acredita no que está escrito na embalagem do produto escolhido: 0% de trans. Ora, se está escrito 0% trans é porque não tem trans, certo?

A resposta é DEPENDE! Depende de quais ingredientes foram usados para fazer aquele produto. Se na lista de ingredientes constar gordura vegetal hidrogenada é porque tem trans. Sem choro nem vela!

domingo, 18 de dezembro de 2011

E para o lanchinho da tarde? Cookies de aveia!

Ingredientes:
1 xícara de chá de aveia em flocos grossos (prensada) hidratada por uma noite
3 xícaras de chá de água mineral ou filtrada
1 xícara de chá de açúcar mascavo
½ xícara de chá de óleo vegetal
1 xícara de chá de farinha de trigo integral
2 colheres de sopa de coco ralado
1 pitada de sal marinho
Canela em pó a gosto
Opcionais a gosto: uva passa, gotas de chocolate, gergelim ou castanhas moídas


Modo de preparo: bata a aveia hidratada com a água no liquidificador e coe em peneira média. O líquido poderá ser aproveitado como “leite de aveia” (veja dicas abaixo). Misture 1 xícara de chá do resíduo da aveia retido na peneira com os demais ingredientes. Com auxílio de 2 colheres, faça bolachinhas e leve para assar em fôrma previamente untada por 15 minutos em forno moderado.